História, Guerras, curiosidade medievais

Esgrima Medieval

Quando ouvimos falar sobre arte marcial, logo pensamos em esportes de combate e artes marciais orientais como Karatê, Judô, Jiu Jitsu, Muai Thai, Tae Kwon Dô, e tantas outras mais.
Mas, se o termo “marcial” tem origem no deus grec0-romano da guerra (marte), aonde estão as artes marciais européias?
Neste último século, a maioria dos ocidentais esqueceram de sua rica tradição marcial.
Todos os povos da antiguidade desenvolveram técnicas de combate, podemos notar semelhanças em muitos estilos mesmo estando a milhares de kilômetros de distância pois afinal somos todos humanos.
Na Europa, a arte da guerra ganhou notoriedade mundial quando a Grécia/Macedônia e depois Roma, conquistaram vários povos da Eurásia. As técnicas de combate (corpo-a-corpo e militar) greco-romanas posteriormente mescladas às técnicas dos bárbaros germânicos deram origem à muitos estilos que existem até hoje, algumas mais populares como o boxe, esgrima, savate, algumas conhecidas apenas por artistas marciais como luta greco-romana, catch-as-catch can, lancashire, back-hold, cornish ou collar-and-elbow wrestling, e algumas apenas praticadas em pequenas comunidades como a Galhofa, Gouren, Glima, Schwingen, Buza, Strumpa, Trinta, lucha canaria, lotta campidesa, jogo do pau, la canne, shilleagh, bastone siciliano, garrote venezolano, makhila e tantos outros mais.
A maioria destas artes regionais preservaram apenas os aspectos esportivos ou foram adaptadas para uso civil, já que as técnicas de combate corpo-a-corpo perderam popularidade no campo de batalha graças ao advento da pólvora e nas mudanças das táticas militares.
Apesar de em séculos anteriores alguns praticantes pesquisarem e tentarem resgatar as artes antigas, as artes marciais como técnicas de combate corpo-a-corpo só voltam a se popularizar na Europa e América após a introdução das artes orientais no ocidente no começo do século XX, em maior intensidade após as grandes guerras e mais ainda na década de 60, graças a uma nova era de busca ao auto-conhecimento e a grande popularidade de filmes de kung-fu.
Enquanto muitos povos da Ásia, devido a diversos fatores, conseguiram preservar suas artes marciais passando o conhecimento diretamente de geração à geração, na Europa esta prática se extingue no período das revoluções burguesas pois representavam o “antigo regime”.
E, nestas últimas décadas, com o globalização do entretenimento e divulgação da história européia por meio da literatura, filmes, RPG e por último, vídeo-games, gerou-se um grande interesse pela armas, armaduras e técnicas marciais de nossos ancestrais.
Por sorte, muitos destes sistemas de combate sobreviveram em manuscritos que datam desde o século XII,  e agora, graças à internet,  pesquisadores e praticantes no mundo inteiro podem ter acesso à estes manuais e estão trazendo essa arte de volta à vida.
E porquê estudar esgrima hoje em dia?:
Como escreveu George Silver, em 1599:
“And moreover, the exercising of weapons puts away aches, griefs, and diseases, it increases strength, and sharpens the wits. It gives a perfect judgement, it expels melancholy, choleric and evil conceits, it keeps a man in breath, perfect health, and long life. It is unto him that has the perfection thereof, a most friendly and comfortable companion when he is alone, having but only his weapon about him. It puts him out of fear in the wars and places of most danger, it makes him bold, hardy and valiant.”
“E além disso, o exercício das armas expulsa dores, tristeza e doenças, aumenta a força, e aguça o juízo. Ele dá um perfeito julgamento, expulsa melancolia, a cólera e os maus conceitos, mantém um homem em boas condições, saúde perfeita e longa vida. É é nele que tem a perfeição, o companheiro mais amigável e confortável quando está sozinho, tendo apenas e tão somente sua arma. Ele tira seu medo nas guerras e os locais de maior perigo, o torna ousado, destemido e valente.”
E como Christian Tobler resume em seu documentário, “It´s a window into a different way of thinking, which still has a lot to teach us today”.
"Esta é uma janela para um diferente modo de pensar, que ainda tem muito a nos ensinar hoje em dia."

Extraído de: http://arsgladiatoria.wordpress.com/ - com modificações.

Shadowfax Medieval Art © 2011 Todos os direitos reservados.

Crie um site grátisWebnode